sábado, 13 de abril de 2013

Especial - Biologia Marinha

Projeto Tamar


O Projeto Tamar-ICMBio foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal-IBDF, que mais tarde se transformou no Ibama-Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. Hoje, é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha e serve de modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho sócio-ambiental.
Pesquisa, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção, é a principal missão do Tamar, que protege cerca de 1.100km de praias, através de 23 bases mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas, em nove Estados brasileiros.
O nome Tamar foi criado a partir da combinação das sílabas iniciais das palavras tartaruga marinha, abreviação que se tornou necessária, na prática, por conta do espaço restrito para as inscrições nas pequenas placas de metal utilizadas na identificação das tartarugas marcadas para diversos estudos.
Desde então, a expressão Tamar passou a designar o Programa Brasileiro de Conservação das Tartarugas Marinhas, executado pelo Centro Brasileiro de Proteção e Pesquisa das Tartarugas Marinhas-Centro Tamar, vinculado à Diretoria de Biodiversidade do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade-ICMBio, órgão do Ministério do Meio Ambiente.
·                    Espécies encontradas no Brasil

tartarugatartaruga

                 Verde ou Aruanã                                             Cabeçuda ou Mestiça

                       Caretta caretta                                                                          Chelonia mydas                    

               


tartarugatartaruga

        de couro ou gigante                                          de pente ou legítima

          Eretmochelys imbricata                                                               Dermochelys coriacea                





tartaruga

       Oliva

       Lepidochelys olivacea


Bases:

O Projeto Tamar/ICMBio está presente em nove Estados brasileiros (Bahia, Sergipe, Pernambuco (Fernando de Noronha), Rio Grande do Norte (Praia da Pipa), Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina, protegendo cerca de 1.100 quilômetros de praias, através de 22 bases de pesquisa mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e nas ilhas oceânicas.
As bases do Tamar recebem anualmente cerca de 150 estudantes e recém-formados das áreas de ciências biológicas, oceanografia, medicina veterinária e afins que participem da rotina destas bases. Há também, junto às sedes do Projeto nas várias regionais, estudantes das áreas de administração e economia atuando nos escritórios da Fundação Pró-Tamar.
Os estagiários e treinees recebem treinamento específico de acordo com as atividades da base onde irão atuar, o que pode incluir: trabalho de campo junto aos pescadores; monitoramento das praias nas áreas de desova; monitoramento de atividade pesqueira; atendimento de público dos Centros de Visitantes, palestras, oficinas e outras atividades de educação ambiental junto as comunidades, e reabilitação de tartarugas marinhas.
O período de estágio varia de um a seis meses, dependendo da regional e das atividades a serem desenvolvidas. A carga horária é adequada às necessidades do trabalho com as tartarugas marinhas e seu comportamento. Isto requer dos estagiários e treinees flexibilidade para atuar em qualquer horário do dia ou da noite. A rotina inclui realizar tarefas muito cedo ou tarde da noite, incluindo finais de semana e feriados, até mesmo em festas tradicionais como Natal e Ano Novo.

Almofala-CE

Oferece vagas para estudantes e recém-formados nos cursos de biologia, oceanografia, medicina-veterinária, engenharia de pesca, gestão ambiental e engenharia ambiental.

Principais atividades

Monitoramento embarcado da atividade pesqueira; mergulho livre nas áreas onde acontecem as pescarias; marcação, biometria, identificação da espécie das tartarugas capturadas na pesca; monitoramento de praia para registro de encalhes de tartarugas vivas ou mortas; entrevistas com pescadores nas praias e locais de desembarque de pescado;  educação e sensibilização ambiental junto a estudantes, turistas e comunidade; manejo das tartarugas em cativeiro (preparo do alimento, limpeza de recintos, etc); registro de dados e elaboração de relatórios; apoio ao trabalho administrativo da base.

Pré-requisitos

- Cursar o ensino superior - no mínimo o quarto período de graduação;
- Noções básicas de mergulho livre;
- Disposição para acordar cedo, trabalhar e morar em locais remotos, fazer longas caminhadas e/ou andar de bicicleta e de moto;
- Possuir carteira de habilitação tipos A e/ou B;
- Facilidade para trabalhar em equipe;
- Capacidade de interação com moradores locais e de respeito às características culturais da região.
- Disposição para trabalhar fora dos horários convencionais;
- Conhecimento, no mínimo intermediário, dos idiomas inglês e/ou espanhol;
- Noções básicas de informática.

Duração do estágio

O candidato pode optar entre os dois períodos disponíveis: seis meses (de fevereiro a julho), quando há maior interação da pesca com as tartarugas marinhas;  ou cinco meses (de agosto a dezembro). Nas duas alternativas, é dedicação em tempo integral.

O que oferece

Alojamento gratuito e auxílio alimentação. As despesas com deslocamento, ida e volta, entre a cidade de origem e a base em Almofala, ficam por conta do candidato.

Como se inscrever

Preencher questionário para efetivação da solicitação (faça o download clicando aqui); juntar cópias dos seguintes documentos: questionário de solicitação de estágio, curriculum vitae, carteira de identidade, carteira de habilitação e cartas de recomendação; enviar tudo pelos Correios, endereçado a:

Projeto Tamar-ICMBio
Programa de Estágio
Acesso Projeto Tamar, 151,
CEP 62.592-990, Almofala/Itarema-CE

Mais informações:
E-mail: tamarce@tamar.org.br
Fone: (88)3667-2020


quarta-feira, 13 de junho de 2012

FELIZ DIA DOS NAMORADOS!!!

Segue abaixo doze razões para namorar uma bióloga.

1) Domina bem a Anatomia;
2) As biólogas sempre são as mais bonitas e vaidosas da faculdade;
3) Ficam sexy até em trajes de campo;
4) Sem frescuras! Durante o curso, biólogos aprendem a abrir sapos e pegar minhocas. Quer mulher mais sem frescura que essa?
5) Quando gosta é de verdade, seja você um gato, um cachorro ou galinha;
6) Aprendeu em Microbiologia que tamanho não é documento;
7) Sabe métodos para repor energias gastas;
8) Sabe fazer seu coração bater mais forte;
9) Entende bem de seleção sexual e reprodução;
10) Temos espírito aventureira! Se casar com uma, fique certo de que irá conhecer os lugares mais lindos e fantásticos e que sua lua de mel será em Fernando de Noronha!
11) Biólogos são sempre loucos, legais e divertidos. Topamos qualquer parada! Assim, a saidinha será sempre inesquecível;
12) Por fim, você poderá apresentar sua mulher para a rapaziada, e dizer: além de tudo isso, ela é BIÓLOGA!
   
                                                     

quinta-feira, 8 de março de 2012

Especial - Biologia Marinha

O que faz um Biólogo Marinho?

- Pode trabalhar em investigação de certo assunto relacionado com as ciências marinhas. Desde a poluição marinha, passando pelo funcionamento dos ecossistemas marinhos, a produção de um certo composto por algum ser marinho, a genética das espécies marinhas, o comportamento animal, etc. São projetos normalmente financiados pelo estado ou por privados. E aqui pode sempre progredir na carreira acadêmica - mestrado - doutoramento - pós-graduações.

- Pode ser consultor (aconselhamento) de uma empresa de aqüicultura (se o seu curso o tiver preparado para esta área). É uma área em grande expansão.

- Pode ser consultor das políticas de gestão da pesca (avaliando o estado das populações dos peixes e outros recursos e procurando estabelecer uma exploração sustentável)

- Pode trabalhar na área de proteção e educação ambiental - sensibilizando, protegendo, educando, lutando por políticas mais ecológicas, fazendo parte da equipa de manutenção de reservas marinhas, etc.

- Pode integrar uma empresa que de alguma forma esteja relacionada com o mundo marinho - zoológico marinhos, empresas de observação de baleias e golfinhos ou de outros animais marinhos, empresas de mergulho, etc.


Fonte: Biologia Marinha

quarta-feira, 7 de março de 2012

Especial - Biologia Marinha

Como se tornar um Biólogo Marinho?

Biologia marinha é o estudo dos organismos que vivem em ecossistemas de água salgada e das relações entre eles e com o ambiente.

Os cursos de graduação em Biologia Marinha surgiram em razão da necessidade de conhecer melhor os organismos vivos presentes no ambiente marinho. O curso de Biologia Marinha da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (Rio de Janeiro/RJ), que teve início em 1968 (neste caso, assim como nos demais, a referência é ao ano de ingresso da primeira turma), foi o precursor desta especialidade no País. Somente em 1982, por iniciativa das Faculdades Integradas Maria Thereza – FAMATH (Niterói/RJ), foi criado um novo curso da modalidade. Em 1987 a Universidade Santa Cecília – UNISANTA (Santos/SP) criou o terceiro curso de Biologia Marinha no país.

A entrada em vigor da Lei N° 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB), de 20.12.1996, que garantiu às instituições reconhecidas como universidades e centros universitários autonomia para criar cursos de graduação, desencadeou um segundo ciclo de criação de cursos de Biologia Marinha no Brasil. Até então, todas as instituições tinham que solicitar autorização prévia ao Ministério da Educação - MEC. Assim, foram criados cursos em 2000 na Universidade Federal Fluminense – UFF (Niterói/RJ) e em 2002 na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (Santos/SP) e na Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE (Joinville/SC).

É possível ainda se formar em Ciências Biológicas e fazer uma especialização ou um mestrado na área de Biologia Marinha. O biólogo é um profissional que estuda os organismos vivos em seu ambiente natural, em cativeiro, ou no laboratório. O campo da biologia pode ser desenvolvido sob diversos aspectos, aumentando o conhecimento científico e desenvolvendo aplicações práticas no manejo da vida selvagem, na conservação das espécies, na agricultura e na saúde.

Fonte: Ciências do Mar Brasil; Instituto de Biologia.


Especial - Biologia Marinha


Olá pessoal,

Depois de algum tempo sem postar algo, hoje resolvi fazê-lo devido às visitas e comentários que me incentivaram a colocar mais publicações, especialmente sobre o tema relacionado à biologia marinha.

Confesso que fiquei surpresa ao ver que muita gente visitou meu blog, e com isso não poderia deixá-los sem uma resposta. Um dos motivos de ter ficado muito tempo sem postar é que no começo não havia todos os comentários que há hoje (sei que nem são tantos assim comparando-se com outros blogs, mas para mim é muito bom ver os comentários elogiando o blog) e acabei me desmotivando a continuar postando. O outro motivo é que eu estou no penúltimo semestres do curso de Ciências Biológicas, isso me deixa quase sem nenhum tempo, devido as cadeiras finais e a monografia.

Mas, hoje estou aqui e pretendo postar sempre que der, e devido ao grande número de comentários no 'post' sobre biologia marinha, logo no início do blog, vou a partir de hoje fazer um “especial” abordando exclusivamente sobre o assunto.

Muito obrigada pelos comentários,

Érika Pimentel

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Crueldade no mar

Você sabe o que é finning?
é a pesca para obtenção das nadadeiras dos tubarões, uma das mais cruéis e pertubadoras perseguições realizadas pelo ser humano.

E sabe como o finning é praticado?
Em um curto intervalo de tempo, capturam o tubarão, cortam fora suas nadadeiras e atiram sua carcaça de volta ao mar. muitas vezes vivos, mas mortalmente aleijados, o animal afunda para morrer sangrando, comido por outros peixes ou para apodrecer no leito do mar.

As nadadeiras atenderão a um ávido e lucrativo mercado mundial de sopa de barbatana de tubarão, no qual o Brasil e centenas de outros países participam.

video

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Prevenindo Infecções associadas aos cuidados da saúde (IACS)

Nós elaboramos uma lista de medidas preventivas que você, seus filhos, seus pais e familiares podem tomar antes, durante e depois da sua estadia no hospital para minimizar a exposição às Infecções associadas aos cuidados da saúde (IACS) e bactérias relacionadas, como SARM.

Limpeza e higiene pessoal: :

  • Lave suas mãos. Esfregue por pelo menos 15 segundos com água morna e sabão. Use álcool-gel se você não tiver acesso a água e sabão.
  • De três a cinco dias antes de sua cirurgia, tome banhos diários com sabão contendo 4% de clorexidina, disponível em farmácias.
  • Quando já estiver no hospital: peça para a pessoa que te atender lavar as mãos antes de tocar em você – na sua presença. Exija isso tanto de médicos e enfermeiras que forem examiná-los quanto de visitantes que abracem, toquem ou ajudem você a se vestir, etc. Não tenha vergonha! Sua vida vale um segundo de constrangimento.
  • Certifique-se que a equipe médica esfregue a área da cirurgia antes do procedimento, pois bisturis e outros instrumentos cirúrgicos arrastam as bactérias da pele para a incisão.

Equipamentos:

  • Uma fonte comum de contaminação cruzada por bactérias são estetoscópios, que normalmente não são limpos após usados em cada paciente, então peça que sejam limpos – assim como qualquer outro equipamento médico – na sua presença.
  • Certifique-se de que as equipes hospitalares limpem e desinfetem todas as superfícies que você deve tocar, como grades de cama, cortinas e pias. Evite colocar comida ou utensílios nos móveis ou na cama.
  • Certifique-se que o cateter esteja adequadamente limpo quando inserido e removido e de que outro, novo e limpo, seja inserido a cada 3 ou 4 dias. Se alguma irritação aparecer na área em que for inserido, comunique a enfermagem imediatamente.
  • Monitore ataduras e drenos e avise prontamente a enfermagem se eles estiverem soltos ou molhados.
  • Evite o uso de cateteres urinários o máximo possível. Caso você precise de um, peça que seja removido de um a dois dias – o quanto antes melhor.

Exames:

  • Faça um exame para verificar a presença de Staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM) pelo menos uma semana antes de ser internado. Você pode já ter SARM e não saber! É importante saber disso o quanto antes.
  • Tenha a quantidade de açúcar sob controle se você tiver diabetes.

Medicação:

  • Pergunte a seu medico sobre a administração de antibióticos antes da cirurgia. Para algumas cirurgias, você pode receber uma dosagem antes da cirurgia para prevenir uma Infecção do Sítio Cirúrgico (ISC).

Estética e Conforto:

  • Se você precisa de depilação, use depiladores elétricos no dia da cirurgia em vez de lâminas, pois, com essas últimas, são maiores as chances de cortes na pele, o que aumenta a exposição às bactérias que causam infecção.
  • Peça a seu médico que lhe mantenha aquecido durante a cirurgia. Obviamente, você não irá sentir frio quando anestesiado, mas estudos provaram que procedimentos simples como manter os pacientes aquecidos diminui as chances de infecção.
  • Peça a quem estiver tossindo que use máscara ou que fique pelo menos dois metros longe de você, a fim de que você não pegue uma infecção transmitida pelo ar.
  • Embora visitas possam animar você, se familiares e amigos não estiverem se sentindo bem, peça a eles que esperem para visitá-lo quando estiverem melhor. Converse com eles por telefone enquanto se recupera.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

20 RAZÕES PARA SE TORNAR UM BIÓLOGO


Listamos aqui 20 bons motivos para ser um biólogo e para comprovar que, além de ser uma das profissões mais solicitadas do momento (e com certeza nos próximos anos), é uma atividade que pode te dar um retorno pessoal e financeiro a curto prazo. Confira:

1. O salário médio de um biólogo recém formado é em média de R$2.250,00

2. Entre os profissionais recém-formados de nível superior os biólogos tem a maior média salarial do Brasil

3. Um biólogo experiente, pelo menos 10 anos de carreira, ganha em média R$9.889,00 por mês.

4. Um Biólogo que investe em sua formação, fazendo um Doutorado chegará a ter ganhos superiores a 10 mil reais mensais.

5. Um Biólogo responsável por um Estudo e Relatório de Impacto Ambiental ganha em média R$ 115,00 por hora de trabalho.

6. Empreendimentos que interferem sobre o meio ambiente devem, por lei, ser autorizados por Biólogos.

7. As maiores oportunidades de estágio remunerado do mercado são para estudantes de Ciências Biológicas.

8. Os estudantes de Ciências Biológicas conseguem sua primeira atividade remunerada pelo menos 2 anos antes da formatura.

9. Os Biólogos ganharam 22 prêmios Nobel de Medicina nas últimas 30 edições (1976-2006).

10. A cura para várias doenças, tais como, AIDS e câncer, estão sendo descobertas por biólogos.

11. Os Biólogos tem mais de 30 atividades profissionais regulamentadas pelo Ministério do Trabalho.

12. A profissão de nível superior que permite o maior número de oportunidades de trabalho é a do Biólogo.

13. Os presidentes e diretores das empresas de Biotecnologia mais lucrativas do Brasil são Biólogos

14. A Biotecnologia foi inventada por biólogos na década de 1970; hoje é um setor da economia que movimenta mais de 2,5 bilhões de dólares no Brasil.

15. Os Biólogos são os profissionais que mais contribuem para o desenvolvimento econômico e sustentável da agropecuária no Brasil.

16. Os testes diagnósticos que estão revolucionando a medicina, tais como, diagnóstico precoce de câncer e teste de paternidade pelo DNA, foram inventados e desenvolvidos por biólogos.

17. O conhecimento de um Biólogo permite que ele atue como consultor com uma remuneração média de R$3321,00 por mês.

18. Com o aquecimento global, os Biólogos são os profissionais mais requisitados por grandes empresas que interferem sobre o meio ambiente.

19. Os Biólogos são os profissionais mais preparados para salvar nosso planeta da catástrofe ambiental provocado pelo aquecimento global

20. Cerca de 60% dos professores universitários na área de ciências médicas e biológicas do Brasil são Biólogos.

site:http://www.sejaumbiologo.com.br/

SUPERBACTÉRIA KPC

O que é?

A Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), é um mecanismo de resistência de bactérias a um grupo de antibióticos. Ao adquirir uma enzima, a bactéria se tornou resistente a um grupo de antibióticos, incluindo os mais potentes contra infecções.

Sintomas e Contagio

Os principais sintomas são pneumonia e infecção urinária. Ela atinge principalmente pessoas hospitalizadas com baixa imunidade, como pacientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A bactéria pode ser transmitida por meio do contato direto, como o toque, ou pelo uso de objetos. A lavagem das mãos é uma das formas de impedir a disseminação da bactéria nos hospitais.

Prevenção

Ao entrar no hospital, se acompanhante ou visitante de doentes, lave as mãos com água e sabão e, em seguida, passe álcool. Se tocar no paciente, repita imediatamente o procedimento. Evite contato físico com outros doentes e, se houver, não se esqueça de higienizar as mãos. Evite tocar em macas, mesas de cabeceira e equipamentos hospitalares. Havendo contato, lave as mãos antes de encostar de novo no doente.

Como Tratar?

Entre os remédios ineficazes estão as carbapenemas, uma das principais opções no combate aos organismos unicelulares. Remédios como as polimixinas e tigeciclinas ainda são eficientes contra esses organismos, mas são usados somente em casos de emergência como infecções hospitalares. Lembrando, que você deve procurar um médico antes de tomar qualquer medicamento.

“As razões que levam uma bactéria a driblar a ação dos remédios não são totalmente conhecidas. O abuso do medicamento pode interferir, mas não é o único fator”, diz Ana Cristina Gales, professora de infectologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).


Mãos limpas SEMPRE em toda VIDA ( Veja Como Se Previnir )

Quando você entrar no hospital, sendo visitante ou acompanhante, lave as mãos com água e sabão neutro e, em seguida, passe álcool em gel anti-séptico. Se Você tocar no paciente, repita imediatamente o procedimento. Evite contato físico com outros doentes e, se houver, não se esqueça de higienizar as mãos. Evite tocar em macas, mesas de cabeceira e equipamentos hospitalares. Havendo contato, lave as mãos antes de encostar de novo no doente, essas recomendações vão além do hospital, seja em qualquer lugar público, nunca use suas mãos para tocas em maçanetas de banheiros, corrimãos etc, se não tiver jeito, lembre-se de jamais tocar suas mãos nos

olhos ou no alimento, esses pequenos detalhes salvam vidas.


segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Vacina contra Aids de grupo da USP é a primeira a mirar ‘trechos fixos’ do HIV


HIVBr18 passou por checagens de laboratório com resultados inéditos.
Pesquisa iniciada em 2002 espera verba para teste com macacos.

Cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) estão desenvolvendo uma vacina contra o HIV, o vírus da Aids, baseados em um plano só testado no Brasil. De aproximadamente 200 conceitos de imunizantes anti-HIV imaginados ao longo de 25 anos de luta contra a doença, o desenho da HIVBr18 é o único que mira “regiões conservadas” do vírus – trechos que não passam por mutações. Com a identificação desses alvos fixos, o imunizante brasileiro pode chegar a ser mais eficaz do que os quase 30 que passam atualmente pelo crivo dos ensaios clínicos.

O problema, como sempre, é dinheiro para seguir o ritual obrigatório de checagens. Iniciado em 2002, o projeto consumiu R$ 1,2 milhão e agora precisa de US$ 600 mil só para fazer um tira-teima com macacos-resos na Universidade de Wisconsin – não há centros de primatologia no Brasil capacitados para assumir essa etapa. O degrau é pré-requisito para a necessária – e custosa – sequência de ensaios clínicos, os testes humanos propriamente ditos. São três fases, divididas basicamente pelo número de voluntários participantes. Para que se tenha uma ideia, são necessários US$ 50 milhões a US$ 150 milhões para tocar uma fase 3.

“Nenhum conceito de vacina contra a Aids usa as premissas que estamos usando. Ela merece chegar a ensaio clínico”, disse ao G1 o especialista Edecio Cunha-Neto, chefe do Laboratório de Imunologia Clínica e Alergia da USP e da equipe que desenvolve a nova vacina. “Além disso, nós temos a propriedade intelectual da vacina, pois, até o momento, o desenvolvimento foi totalmente realizado em nosso País.” A patente da HIVBr18 foi depositada no Brasil em setembro de 2005, e nos Estados Unidos e na União Europeia em 2007. Etapas do estudo estão sendo apresentadas pelos brasileiros nesta terça-feira (20) e amanhã em Paris, no Congresso Aids Vaccines 2009.

Vírus transformista
O trunfo do HIV é que o vírus é um fujão profissional, um vilão transformista. E ninguém até agora havia conseguido identificar e alvejar seu calcanhar de Aquiles. “As enzimas que replicam o vírus são falhas, então há muitas mutações”, explica Cunha-Neto. “Algumas são prejudiciais para o vírus, mas outras conferem vantagens. Pelos mecanismos de seleção natural, essas últimas vão prevalecendo.”

Com isso, os cientistas acabavam se deparando com a situação inglória de gastar anos de estudo e muito dinheiro para criar um arsenal que só funciona em um alvo e, na hora H, perceber que o alvo já virou outra coisa, na qual o míssil não faz nem cócegas. Assim, as vacinas já testadas fracassaram porque foram tapeadas pelo agente causador da Aids. Funcionaram em alguns casos, mas simplesmente não foram reconhecidas em outros tantos.

As “velhas estratégias” para lidar com esse pesadelo obedecem a duas premissas clássicas: elas usam proteínas inteiras do HIV e se concentram em gerar linfócitos T do tipo CD8 citotóxico, o pelotão de fuzilamento de células infectadas. Os pesquisadores da USP, sob coordenação de Cunha-Neto, resolveram identificar os trechos permanentes ou "fixos" do HIV por meio de um software – acharam e testaram 18 fragmentos – e embuti-las artificialmente em uma “vacina de DNA”.


Patente do HIVBr18 foi registrada no Brasil em 2005; nos EUA e União Europeia, em 2007

“Partimos da consideração de que talvez não fosse o ideal simplesmente usar algo pronto da natureza (as proteínas inteiras), porque elas estão sempre prontas para escape - como ocorre na própria infecção pelo HIV”, explica o imunologista. “Um algoritmo identificou, a partir de uma base de dados, regiões conservadas que se ligam à maioria dos tipos de HLA de classe 2 (os antígenos leucocitários humanos, moléculas capazes de estimular uma resposta imune que variam muito de pessoa para pessoa). Fabricamos esses segmentos protéicos e confirmamos com testes bioquímicos. Foram fabricados 18 peptídeos que, no conjunto, pegavam todos os HLA mais comuns na população.”

Testada com 30 pacientes soropositivos, 91% reconheceram as iscas. O objetivo buscado aqui foi, teoricamente, melhorar a cobertura vacinal em populações geneticamente heterogêneas, ou seja, fazer com que mais pessoas desenvolvessem respostas imunes contra o HIV após receber a vacina.

Linfócito T CD4

Além disso, a equipe decidiu investir em outro linfócito T, o do tipo CD4. “Não adianta muito ativar o CD8 e só, porque ele é inapelavelmente dependente do CD4 para ser gerado e subsistir com capacidade destruidora. Sem o CD4, o CD8 tem curta duração. O CD4 não era alvo nos conceitos tradicionais de vacina”, diz Cunha-Neto.

Com a incorporção da pesquisadora Daniela Rosa, a pesquisa ganhou novo impulso. Foi então que as 18 sequências foram colocadas em um plasmídeo, um anel de DNA, criando uma “proteína estranha”, quimérica. Na verificação de magnitude após a injeção, os testes indicaram uma alta proliferação e produção de citocinas, as proteínas que funcionam como mensageiros para ajudar na regulação de uma resposta imune. Já na checagem de amplitude em camundongos transgênicos para HLA humanos e portanto parcialmente "humanizados", 16 das 18 sequências foram reconhecidas.

Os oito anos da jornada para viabilizar a HIVBr demandaram financiamento da Fapesp, do Programa Nacional DST/Aids do Ministério da Saúde, do CNPq através do INCT-Instituto de Investigação em Imunologia, e do Centro Internacional de Engenharia Genética e Biotecnologia (Itália). Além dos 8 pesquisadores do núcleo, outros 7 profissionais atuaram como colaboradores em diferentes estágios do trabalho, como, por exemplo, no desenvolvimento do software para isolar as sequências fixas do HIV.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Mensagem Dia do Biólogo

Biólogo não come, degusta.
Biólogo não cheira, olfata.
Biólogo não toca, tateia.
Biólogo não respira, quebra carboidratos.
Biólogo não tem depressão, tem disfunção no hipotálamo.
Biólogo não admira a natureza, analisa o ecossistema.
Biólogo não elogia, descreve processos.
Biólogo não tem reflexos, tem mensagem neurotransmitida involuntária.
Biólogo não facilita discussões, catalisa substratos.
Biólogo não transa, copula.
Biólogo não admite algo sem resposta, diz que é hereditário.
Biólogo não fala, coordena vibrações nas cordas vocais.
Biólogo não pensa, faz sinapses.
Biólogo não toma susto, recebe resposta galvânica incoerente.
Biólogo não chora, produz secreções lacrimais.
Biólogo não espera retorno de chamadas, espera feed backs.
Biólogo não se apaixona, sofre reações químicas.
Biólogo não perde energia, gasta ATP.
Biólogo não divide, faz meioses.
Biólogo não faz mudanças, processa evoluções.
Biólogo não falece, tem morte histológica.
Biólogo não se desprende do espírito, transforma sua energia.
Biólogo não deixa filhos, apresenta sucesso reprodutivo.
Biólogo não deixa herança, deixa pool gênico.
Biólogo não tem inventário, tem hereditário.
Biólogo não deixa herdeiros ricos, pois seu valor é por peso vivo.

Feliz Dia do Biólogo!

Dia do Biólogo


Ao Profissional que Estuda a Vida

A profissão de Biólogo foi regulamentada no Brasil pela Lei número 6.684 de 3 de setembro de 1979. Devido à profissão ter sido regulamentada em um 3 de setembro, instituiu-se este o Dia do Biólogo.

O Biólogo é um profissional capacitado para, além de executar, pensar. A pesquisa básica na área das Ciências Biológicas é, hoje em dia, realizada em grande parte por Biólogos. Isso inclui técnicas aplicadas na medicina, no controle de pragas, e na preservação ambiental.

O profissional biólogo deve ser:

a) generalista, crítico, ético, e cidadão com espírito de solidariedade;

b) detentor de adequada fundamentação teórica, como base para um ação competente, que inclua o conhecimento profundo da diversidade dos seres vivos, bem como sua organização e funcionamento em diferentes níveis, suas relações filogenéticas e evolutivas, suas respectivas distribuições e relações com o meio em que vivem;

c) consciente da necessidade de atuar com qualidade e responsabilidade em prol da conservação e manejo da biodiversidade, políticas de saúde, meio ambiente, biotecnologia, bioprospecção, biossegurança, na gestão ambiental, tanto nos aspectos técnicos-científicos, quanto na formulação de políticas, e de se tornar abgente transformador da realidade presente, na busca de melhoria da qualidade de vida;

d) comprometimento com os resultados de sua atuação, pautando sua conduta profissional pro critério humanísticos, compromisso com a cidadania e rigor científico, bem como pro referenciais éticos legais;

e) consciente de sua responsabilidade como educador, nos vários contextos de atuação profissional;

f) apto a atuar multi e interdisciplinarmente, adaptável à dinâmica do mercado de trabalho e às situações de mudança contínua do mesmo;

g) preparado para desenvolver idéias inovadoras e ações estratégicas, capazes de ampliar e aperfeiçoar sua área de atuação.

Competências e Habilidades

a) pautar-se por princípios da ética democrática: responsabilidade social e ambiental, dignidade humana, direito à vida, justiça, respeito mútuo, participação, responsabilidade, diálogo e solidariedade;

b) reconhecer formas de discriminação racial, social, de gênero, etc. que se fundem inclusive em alegados pressupostos biológicos, posicionando-se diante delas de forma crítica, com respaldo em pressupostos epistemológicos coerentes e na bibliografia de referência;

c) atuar em pesquisa básica e aplicada nas diferentes áreas das Ciências Biológicas, comprometendo-se com a divulgação dos resultados das pesquisas em veículos adequados para ampliar a difusão e ampliação do conhecimento;

d) portar-se com educador, consciente de seu papel na formação de cidadãos, inclusive na perspectiva sócio-ambiental;

e) utilizar o conhecimento sobre organização, gestão financiamento da pesquisa e sobre a legislação e políticas públicas referentes à área;

f) entender o processo histórico de produção do conhecimento das ciências biológicas referente a conceitos/princípios/teorias;
g) estabelecer relações entre ciência, tecnologia e sociedade;

h) aplicar a metodologia científica para o planejamento, gerenciamento e execução de processos e técnicas visando o desenvolvimento de projetos, perícias, consultorias, emissão de laudos, pareceres etc. em diferentes contextos;

i) utilizar os conhecimentos das ciências biológicas para compreender e transformar o contexto sócio-político e as relações nas quais está inserida a prática profissional, conhecendo a legislação pertinente;

j) desenvolver ações estratégicas capazes de ampliar e aperfeiçoar as formas de atuação profissional, preparando-se para a inserção no mercado de trabalho em contínua transformação;

k) orientar escolhas e decisões em valores e pressupostos metodológicos alinhados com a democracia, com o respeito à diversidade étnica e cultural, às culturas autóctones e à biodiversidade;

l) atuar multi e interdisciplinarmente, interagindo com diferentes especialidades e diversos profissionais, de modo a estar preparado a contínua mudança do mundo produtivo;

m) avaliar o impacto potencial ou real de novos conhecimentos/tecnologias/serviços e produtos resultantes da atividade profissional, considerando os aspectos éticos, sociais e epistemológicos;

n) comprometer-se com o desenvolvimento profissional constante, assumindo uma postura de flexibilidade e disponibilidade para mudanças contínuas, esclarecido quanto às opções sindicais e corporativas inerentes ao exercício profissional.

Parabéns a você Biólogo, profissional que estuda a vida em suas diferentes formas de expressão. Comprometido com uma área de atuação quase infinita: estuda a origem, estrutura, evolução e funções dos seres vivos, classifica as diferentes espécies animais e vegetais e estabelece sua relação com o meio ambiente, monitora qualidade de nossas águas, recombina DNA para descobrir medicamentos e estudar a ação de enzimas e, acima de tudo luta pela proteção e preservação de nosso planeta.


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Vacina contra a influenza A (H1N1) - gripe suína


O presidente da Fundação Instituto Butantan, Isaías Raw, afirmou nesta terça-feira, que a cepa (linhagem) do vírus Influenza H1N1 para a produção da vacina contra a gripe suína já chegou ao Brasil. Segundo ele, a instituição deverá produzir, inicialmente, 30 milhões de doses da vacina contra a doença. A cepa foi enviada ao país pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e recebida no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. A estimativa de Raw é que a vacina comece a ser distribuída no Brasil em janeiro de 2010.

Segundo a assessoria da Fundação Instituto Butantan, a reprodução do vírus e os testes que resultarão na vacina começarão em outubro, com a inauguração da fábrica de Influenza no complexo da Fundação.

O Ministério da Saúde também está negociando com o laboratório francês Sanofi Pasteur a importação de 17 milhões de doses da vacina, que serão armazenadas também no Butantan.

Ao participar de audiência pública sobre a influenza A (H1N1) - gripe suína - na Câmara dos Deputados, Raw garantiu que não há capacidade industrial, nem no Brasil, nem no resto do mundo, para que todas as pessoas sejam vacinadas.

- Isso é conversa, não existe e não vai existir. Trinta milhões (de doses) não vacinam todo mundo - disse, ele ao destacar a prioridade para profissionais de saúde, dentre outros.

- A meta é saúde pública, não é lucro. Prevenir é mais barato do que tratar. Ninguém vai fazer uma loucura e montar milhões de hospitais - afirmou.

Sobre a possibilidade de incluir gestantes como grupo prioritário para vacinação, diante do alto número de óbitos provocados pela gripe suína, ele admitiu que não se sabe ainda se há algum efeito da vacina na formação do feto. Para Raw, mulheres grávidas não devem receber a vacina, mas o tratamento com Tamiflu. Crianças, segundo o médico, também devem ser vacinadas o mais rápido possível, já que muitas vezes o vírus chega aos familiares vindo das escolas.

- Mas não vão ser vacinadas este ano porque não há vacina suficiente - ressaltou.

terça-feira, 30 de junho de 2009

NOVIDADES

  • Danos ao DNA causados pelo sol

Observado pela primeira vez moléculas de DNA sendo danificadas pela luz ultravioleta.
Não é novidade que exposição em excesso aos raios do sol faz mal. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer, o câncer mais freqüente é o de pele, que corresponde a cerca de 25% de todos os tumores diagnosticados no país. Mas ninguém havia visto ainda os danos provocados pela luz ultravioleta não à epiderme, mas à própria molécula que carrega as instruções genéticas da vida.
Um grupo de pesquisadores da Alemanha e dos Estados Unidos conseguiu observar em tempo real prejuízos promovidos pela luz ultravioleta em cadeias de DNA. Pior: eles verificaram que a reação química ocorre em enorme velocidade, de menos de um picossegundo (trilionésimo de segundo).
Cientistas estudam os danos provocados pelos raios UV para tentar compreender o papel desses em queimaduras solares e em doenças como câncer de pele. O novo trabalho, publicado na edição atual da revista Science, indica que os danos dependem em grande parte da posição do DNA no momento em que os raios ultravioleta atingem a molécula.
Segundo Bern Kohler, da Universidade do Estado de Ohio e um dos autores do estudo, a luz ultravioleta estimula a molécula de DNA pela adição de energia. O estado energizado freqüentemente decai de forma inofensiva à molécula, mas em alguns casos ele dispara uma reação que altera a estrutura dessa.
Cientistas acreditavam que, quanto mais uma molécula de DNA fosse excitada por energia ultravioleta, maiores as chances de que sofresse algum dano. Ou seja, estados mais prolongados de estimulação seriam mais perigosos. Mas o novo estudo mostra que o tipo mais comum de dano é causado justamente pela estimulação breve.
“A velocidade dessa reação tem conseqüências importantes para entender como o DNA é danificado pela luz ultravioleta. Em nosso estudo, não vimos qualquer evidência de que estados energéticos prolongados fossem responsáveis pelos danos, mas sim as excitações mais curtas”, disse Kohler em comunicado da Universidade do Estado de Ohio.
Os danos identificados consistiram de duas pequenas ligações moleculares formadas onde não deveriam: entre duas bases de timina. A timina é uma base nitrogenada que se emparelha com a adenina na molécula de DNA.
O DNA emprega reações químicas específicas para se curar, mas, quando os danos são demasiados, ele passa a não mais se replicar corretamente. Células danificadas de forma grave simplesmente morrem. Os cientistas apontam que os danos crônicos criariam mutações que levariam a doenças como o melanoma.
O DNA se move constante e rapidamente, em uma flexibilidade que torna possível as reações químicas normais que ocorrem em uma célula. O problema, segundo o estudo agora divulgado, é que a velocidade dos raios ultravioleta em provocar danos é muito maior do que a das adaptações do DNA.
Agência FAPESP

  • Identificado gene que aumenta risco de diabetes

Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu uma das causas genéticas do diabetes nos adultos, segundo um trabalho publicado pela revista científica Nature. Os pesquisadores identificaram cinco variantes genéticas vinculadas a esse tipo de diabetes, que está relacionada tanto com a herança genética como a outros fatores, como má alimentação, obesidade e tabaco.As cinco variantes juntas contribuem aproximadamente com 70% do risco genético do diabetes do tipo 2 nos adultos. Esta descoberta é importante porque pode facilitar o desenvolvimento de um teste clínico destinado a identificar as pessoas com predisposição a desenvolver a doença, segundo cientistas.Estas pessoas poderiam modificar seu estilo de vida, praticando mais exercícios físicos e alterando a dieta. "As duas causas fundamentais do diabetes do tipo 2 são a obesidade e a herança familiar", afirmou Philippe Froguel, do Imperial College de Londres, um dos cientistas responsáveis pelo estudo. O relatório publicado na Nature indica pelo menos uma causa potencial da doença: um dos cinco genes é encarregado de transportar o zinco no corpo humano, mas também participa da secreção da insulina, hormônio que desempenha um papel importante no metabolismo do açúcar. Os cientistas acham que o fato de saber que a mutação genética ocorre exatamente nesse mecanismo transportador de zinco e regulador da secreção da insulina pode ajudar a desenvolver tratamentos mais eficazes contra este tipo de diabetes. O diabetes do tipo 2 está muito mais estendida que a do tipo 1, que costuma afetar o indivíduo na infância e representa apenas entre 5% e 15% dos casos. O diabetes do tipo 2, desencadeada por uma insuficiência da produção de insulina, começa geralmente após os 40 anos e representa entre 85% e 95% dos casos.

Fonte: EFE

sexta-feira, 29 de maio de 2009

BioCuriosidades

- Por que nós soluçamos?
Soluço é a contração involuntária do músculo do diafragma, responsável pela respiração. O soluço geralmente é causado por uma irritação no nervo frênico, responsável por ativar o diafragma devido a um aumento do volume do estômago. E não é lenda a história de que um susto pode curar o "soluçante", pois libera adrenalina e ativa o nervo frênico. Outra saída é a água gelada, que provoca o mesmo efeito.

-O que causa o arroto ?
Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato de engolir ar (aerofagia)."Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as causas mais comuns". Ingerir alguma substância que contenha gás,como refrigerante, pode ser outra causa provável. A cura não é muito educada. Basta "eructar".

- Por que a gente boceja ?
"É uma forma de ativar o cérebro e evitar o sono", afirma o coordenador do departamento de distúrbio do sono da Unifesp, Ademir Baptista Silva. Ao bocejar, o segundo e o terceiro ramo do nervo trigêmeo (um dos nervos da face) são ativados, estimulando o cérebro. O mesmo efeito pode ser obtido mascando chiclete. "O único mistério é o fator" epidêmico "do bocejo - ninguém sabe porque as pessoas bocejam quando vêem outras bocejando", diz Ademir.

- O que causa o espirro?
"É um mecanismo de defesa, uma forma de o organismo liberar bactérias e vírus alojados nas vias respiratórias, especialmente no nariz, limpando-o". Explica o pneumologista Clystenes Odyr Silva. Não tente impedir o espirro e jamais bloqueie o nariz para evitar fazer barulho. A velocidade do espirro pode ser de 160 km/h; ao tampar nariz, a pressão é transmitida para um canal do ouvido e corre-se o risco de ter-se o timpano rompido.

- Quais são as causas do ronco?
É uma obstrução parcial das vias respiratórias, que pode ocorrer em razão de um desvio do septo nasal, de rinites ou sinusites. A obstrução relaxa os músculos do tórax, o que induz à abertura involuntária da boca. O ar, entrando na boca, encontra resistência à sua passagem na língua, na úvula (a campainha) e nas amígdalas. Por isso, vibra e faz aquele barulho de britadeira.

- Meu pé está dormente!
Isso acontece porque a compressão do fluxo sangüíneo (ao cruzar as pernas, por exemplo) interrompe o tráfego de impulsos nervosos. Ao restabelecer o fluxo, acontece uma espécie de "curto circuito" nos impulsos elétricos dos nervos, daí a sensação de formigamento". Há até um problema conhecido como "paralisia dos amantes". O casal dorme junto e um deles fica em cima do braço do outro. O fluxo sangüíneo pode ficar interrompido por horas, comprometendo por meses ou até para sempre o músculo do braço". A saída para o formigamento é restabelecer o fluxo sangüíneo, movimentando o músculo. Dependendo do caso, é necessário fazer fisiooterapia.

-De onde vem a cãibra?
Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp, 95% da população já experimentou esse espasmo muscular, em geral na barriga da perna. "Após intensa atividade física, acaba a energia e a musculatura se contrai e não relaxa". Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao que está doendo, como fazem os jogadores de futebol. Se a cãibra for na barriga da perna, por exemplo, basta alongar os músculos da parte da frente, puxando a ponta do pé p/ cima , em direção a canela.

- Por que os pelos ficam arrepiados?
"O frio e as fortes emoções são os principais estímulos causadores da contração do músculo eretor dos pêlos", afirma a neurologista Cláudia Garavelli. A origem pode estar na teoria darwinista e sua explicação é que o arrepio é uma forma de defesa. No frio, a camada formada pelos pêlos retém o ar quente, aquecendo o corpo. No medo, aumenta-se o volume do retém o ar quente, aquecendo o corpo. No medo, aumenta-se o volume do corpo, assustando-se assim um eventual agressor, como fazem os gatos.

- Por que há uma especie de "choque" quando se bate o cotovelo na quina da mesa?
A reação é causada pela compressão de um nervo chamado ulnar. "No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto, ficando suscetível a pancadas". Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular. Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo até esses dois dedos.

- Estalar os dedos engrossa as asticulações?
Não. "Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante da articulação responsável por diminuir o atrito se desloca sob o vácuo formado entre as articulações, fazendo o barulho do estalo", ensina o ortopedista e cirurgiãode mão Luís Nakashima. O mesmo fenômeno pode ser percebido nas costas e nos joelhos. "Provocar o estalo no dedo não faz mal algum".

- Por que tenho vontade de urinar quando entro na piscina?
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo aumenta. "Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos vasos são "empurrados" para dentro deles", com o aumento do volume de sangue nos vasos - chamado volemia - vem a vontade de urinar. É como beber água. Por falar em água, é verdade que torneira aberta e chuveiro despertam a vontade. "É o que os psicológico, chamamos de reflexo da micção".

- Por que a pele da mão enrruga quando ficamos na água?
"Porque a camada externa da pele do dedo é composta por uma proteína -a queratina - que pode "absorver "água como uma esponja", explica o clínico geral Luís Fernando. A camada externa da pele da ponta dos dedos é "fixa". Para caber o volume de água absorvido, a pele enrruga.

-Sangue ou Espermatozóide: Quem é mais rápido?
O Espermatozóide se move a cerca de 45 km/hora. Já o Sangue, na aorta ao sair do coração se move a incríveis 108 km/h. Para completar o grid da corrida temos o Espirro que alcança 150 km/h. Mas o vencedor é o Impulso nervoso que chega a impressionantes 360 km/h!

-Qual o limite de comida suportada pelo estômago?
O estômago é um órgão elástico, quando vazio tem um volume de 50 mililitros. Porém ele pode aumentar 80 vezes sua capacidade se você comer sem parar. Isto equivale a 3 ou 4 litros de comida. Se a pessoa insistir em continuar comendo a reação natural é o vômito…

-Qual a capacidade de ar dos pulmões?
Cerca de 5 litros de ar, porém somente meio litro é renovado a cada respiração. Como a freqüência respiratória é de cerca de 15 movimentos por minuto, respiramos 450 litros de ar em uma hora; 10.800 litros por dia ou ainda 3,9 milhões de litros em um ano!